sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

A interpretação de Romanos 11, 11-12 que tenho como a mais provável

                                                                                                                             Carlos Nougué

 Lemos em Romanos 11, 11-12: “Digo, pois: porventura tropeçaram eles [os judeus] de modo que caíssem [para sempre]? Não, certamente. Mas por seu delito veio a salvação para os gentios, para incitá-los à emulação. Ora, se seu delito foi a riqueza do mundo, e sua redução a riqueza dos gentios, quanto mais [não o será] sua plenitude?” E S. Tomás, entre as interpretações destas palavras de S. Paulo que ele considera admissíveis, põe a seguinte, que tenho como a mais provável: [...] os que enganados pelo Anticristo tiverem caído totalmente serão, após a conversão dos judeus, restituídos em seu primeiro fervor. E ainda, assim como, após a queda dos judeus, os gentios se reconciliariam com suas antigas inimizades, assim também, após a conversão dos judeus, sendo então iminente o fim do mundo, se dará a ressurreição geral, e por ela os homens, de mortos que estavam, voltarão à vida imortal” [destaque meu] (Super Epistolam B. Pauli ad Romanos lectura, caput 11, lectio 2). Para as razões por que a considero a mais provável, vide Se se deve rezar pela salvação do mundo, artigo 3, in Do Papa Herético e outros opúsculos, p. 360-367.