sábado, 9 de julho de 2016

A absurda defesa de Francisco por membros da chamada linha-média


C. N.

Para mim segue sendo um enigma o fato de que certos membros da chamada linha-média, muitos dos quais se dizem tomistas e conservadores, continuem a defender o Papa Francisco. Esta defesa tem duas características:
a) a tentativa de desqualificar mediante piruetas teológicas os que se opõem ao magistério conciliar e especialmente a Francisco;
b) e o ocultamento sistemático dos sacrilégios e das heresias que este vem cometendo ao longo de seu pontificado.
Por isso, senhores, pergunto-lhes: que dirão acerca desta recente entrevista de Francisco? Por acaso não terão lido aí, entre outras barbaridades, que Francisco justifica a Lutero e diz que a Igreja deve pedir desculpas aos gays, aos pobres, etc.?
Na próxima semana, recomeço a série Da Necessidade de Resistir ao Magistério Conciliar, e repito o dito no início desta: ao final da série, aceitarei todo e qualquer convite para debater publicamente com quem quer que se oponha ao dito nela e siga defendendo o magistério conciliar. Até lá, devo explicar detidamente a correta posição de resistência ao magistério conciliar. Nunca cederei a disputar esta questão mediante artiguinhos de fundo antes denegridor e propagandístico que verdadeiramente teológico.